Hoje quero postar aqui, algo sobre uma das melhores emoções, das inúmeras que vivi no Egito, recentemente, quando lá estivemos. Esta viagem aconteceu em novembro de 2014. Era o quinto ou sexto dia de viagem e já tínhamos nessa altura, visitado mais de dez monumentos importantes, sobre os quais, em breve, falarei também.

alberto no camelo

 

 

camelo-doc-corte2
Imagem de destaque

 

Saímos num barco, pelo rio Nilo, logo após visitarmos o Jardim Botânico de Aswan. Muito bonito (foto abaixo). Viajamos cerca de meia hora a 40 minutos e paramos num local onde os nativos alugam os camelos e vendem sourvenires. Os preços que eles pedem, inicialmente, são lá nas alturas. Você tem que pechinchar muito, para não ser explorado. Por exemplo, Joselita ia comprar um artesanato feito com couro de camelo, que ele pediu inicialmente 400 dólares egípcios e terminou ficando por 100. Mas em outros lugares, teve coisas que eles pediam inicialmente 100 dólares egípcios e ficava por 10 ou mesmo por 5 dólares egípcios. É preciso pechinchar muito em todos os lugares, foi o que nos recomendou nosso guia Mustafa. Não é Mustafá, como aqui no Brasil. Pronuncia-se Mustáfa.

jardim-botanico-alberto+joselita
Entrada do Jardim Botânico – Aswan, Egito

Bem,  após negociarmos com o pessoal que estava alugando os camelos e escolhermos os nossos, saímos para um passeio de cerca de meia hora. Com direito a uma parada lá em cima da duna, para tirarmos fotografias. Olha, foi muito gostoso! Só que na volta, na hora de descer, teve um pequeno acidente com Joselita. Ela se machucou feio no pau que fica na sela do camelo, para a gente segurar. É que o camelo não desce de uma vez. Ele primeiro dobra as patas da frente para depois dobrar as de trás e, se você não tiver muito cuidado, todo o seu peso cai em cima deste pau e, como ele fica no meio das pernas,  da gente, dá pra imaginar a pancada não é? É muito forte, e machuca mesmo. Mas, fora isto, foi tudo uma festa.

Quando descemos dos camelos em cima da duna, tiramos várias fotos e, uma delas (Foto 3), quando olhei, achei o cenário muito parecido com a última imagem do livro O Pequeno Príncipe de Exupéry. Só que no lugar do Pequeno Príncipe, nesta foto, estou eu.

No final de tudo (Foto 4) ainda fomos brindados com a lua nascendo, enquanto voltávamos para o hotel, navegando pelo Nilo.

Foi realmente, uma (dentre tantas) experiência i-nes-que-cí-vel.

Vejam as fotos.

joselita no camelo
Foto 1

 

joselita descendo do camelo
Foto 2

 

sahara_pequeno_principe
Foto 3

 

lua nascendo no nilo
Foto 4

 

Foto 1 – Parte do grupo andando nos camelos no Sahara.

Foto 2 – Joselita descendo do camelo.

Foto 3 – Eu no mesmo lugar onde o Pequeno Príncipe foi visto pela última vez.

Foto 4 – A lua cheia nascendo numa das margens do rio Nilo enquanto navegávamos de volta para o hotel.

Obs. Na foto destacada no início, os camelos tinham acabado de se beijar. Não deu tempo de flagrar o beijo mas ainda dá pra ver a carinha deles.

 

Anúncios